Segundo ela, o problema estava dentro e não fora. Ela era só o fruto da loucura e sonhos que não tiveram a oportunidade de ser. Pobre moça louca, sem asas para voar…
Vale a pena me salvar?
1 2 3 4 5 »
THEME PROMISSE @

posted on Há 1 dia with 69.446 notas · via · source · reblog
“Eu tenho um sonho de poder realizar o sonho de todo mundo, de amenizar a dor de todo mundo, porque eu sei o quanto é doloroso e cruel você não conseguir controlar uma dor.”
Ana Lua.    

posted on Há 1 dia with 890 notas · via · source · reblog

Queria dormir por alguns meses. Quem sabe, quando eu acordar tudo estará bem.


posted on Há 1 dia with 1.116 notas · via · source · reblog

posted on Há 1 dia with 72 notas · via · source · reblog

posted on Há 1 dia with 80 notas · via · source · reblog
“Porque, às vezes, acontecem coisas com as pessoas com as quais elas não estão preparadas para lidar.”
Em Chamas.   

posted on Há 1 dia with 6.910 notas · via · source · reblog
“Ando tão só. Ando tão triste que às vezes me jogo na cama, meto a cara fundo no travesseiro e quase começo a chorar. Sempre lembro de você nessas horas.”
Caio Fernando Abreu  

posted on Há 1 dia with 16.567 notas · via · source · reblog

posted on Há 1 dia with 1.397 notas · via · source · reblog


posted on Há 1 dia with 4 notas · reblog

Vontade de chorar, sumir, me cortar, ou simplesmente dormir e não acordar.


posted on Há 1 dia with 1.247 notas · via · source · reblog
E eu pensava que depois de um tempo nada do que me fazia mal poderia voltar. Eu ficava imaginando quando eu esqueceria das vezes que eu ficava trancada horas e horas no banheiro chorando baixinho pros meus pais não escutarem. Eu torcia pra que as cicatrizes secassem sem ninguém perceber, e se alguém percebesse eu torcia pra que não perguntasse o que era aquilo no meu pulso. Mas tudo aquilo está voltando outra vez. Aquela angústia que toma conta de todos os meus musculos, e eu já sei o que vem a seguir, a lâmina. Depois de tudo isso, depois de meses sem passa-la no meu pulso, começo a cogitar a possibilidade de me cortar de novo. Talvez esteja sendo fraca por pensar assim, mas me parece a única saida. Eu sei que as coisas não deveriam ser assim, mas eu não tenho escolha, não tenho outra saída. Sei que depois irei me arrepender, mas já será tarde demais. As cicatrizes já terão voltado e eu estarei de casaco no calor outra vez. As vezes acho que estou enlouquecendo, pois quando penso nessa possibilidade é como se conseguisse sentir a lâmina nos meus braços outra vez. É como se eu conseguisse de alguma maneira sentir a dor viciante dos cortes. Isso já está me deixando preocupada. Não sei se devo, mas também é o que eu mais quero. Começo a sentir falta daquela sensação de alivio, do calor que subia junto com a dor conforme a lâmina ia passando, da vontade de gritar e ao mesmo tempo chorar, sinto falta da preocupação com as marcas, dos pensamentos obsessivos que ficavam o dia inteiro esperando por mais um corte. Fico com medo do que as pessoas vão pensar se eu fizer isso de novo, mas a minha vontade ta tão grande que eu já não sei mais se eu quero me cortar por alivio ou por saudade da dor. imediatamente eu sinto uma pontada no peito. Começo a pensar se eu realmente fizer outra vez. Terei que ouvir o “mas porque?” das minhas amigas e o “me promete” dos meus pais. Eu não posso prometer, será que ninguém entende? É pior se essas palavras sairem da minha boca, pois quebrar uma promessa é imensamente pior do que não fazê-la. Consegue entender o que eu estou sentindo agora? O quando o meu corpo está ansiando por aquela dor que alivia momentaneamente. É como se eu estive em abstinencia dos cortes. Como quem fuma crack sabe? Claro que eu nunca cheguei a fumar pra saber realmente o que uma pessoa sente ao ficar sem a droga. Mas pra mim, a lâmina é como o crack. Ela é viciante, e chego a pensar que não conseguirei viver sem ela. Parece estupidez para algumas pessoas, mas passar tanto tempo sem me cortar está quase me levando a loucura. E sei que se eu pegar a lâmina e pensar “só vou fazer um, bem pequeno, só pra aliviar” sei que depois de um, virão dois, e três e quatro… E quando me der conta estarei com os meus braços cobridos pelos cortes outra vez. Agora me resta só torcer pra que essa angustia toda passe antes que seja tarde demais. Antes que eu me arrependa de novo e desabe de novo. Me resta torcer pra que não apareçam motivos novos, e se eles aparecerem me resta torcer que não sejam o suficiente pra mim me machucar de novo.Mas eu sei que de alguma forma a maioria das vezes era por coisas “minimas”, coisas que ao ver dos outros eram bobagem. Como um apelido idiota ou uma piada de mal gosto. Ou mesmo um olhar maldoso de alguém que você ama. Essas pequenas coisas se tornam uma gigantesca desculpa pra justificar o meu ato e fazer outra vez.um xingamento em casa, uma briga na escola, notas baixas, posso não fazer parte muitas vezes disso tudo;mas no meu pensamento em cada coisa que acontece eu tenho um pingo de culpa, em algum canto da história lá estou eu, muitas vezes como a estranha, a fora do contexto”. E eu concordo que as vezes faço a linha ignorante, muitas vezes agressiva, fria. Mas isso é resultado de uma porção de coisas juntas. E eu, ao invés de ignorar tudo, muitas vezes concordo com a opnião dos outros e me ponho automaticamente pra baixo, mesmo sem ter feito nada, nem pra mim e muito menos pra outro alguém.Eu simplesmente penso que não vale a pena dar uma palavra contra, e sou praticamente obrigada a aguentar tudo calada. E as pessoas se aproveitam disso as vezes, falam até mais do que eu posso suportar, e parecem que torçem pra que que eu derrame uma lágrima em publico. O que é perda de tempo pois já aprendi a esconder tudo o que estou sentindo e descontar em mim depois, é sempre assim. Foi a única forma que eu encontrei de resolver as coisas. Então com toda essa saudade da dor eu acho que vou encontrá-la essa noite, me perdoem mas este é o pior lado de mim. Ninguém se importa, ninguém entende, ninguém nem tenta entender ou sentir o que eu sinto. Tanto faz, pra você, tanto faz pra mim.”
— Saudades da minha lâmina  

posted on Há 1 dia with 130 notas · via · source · reblog

posted on Há 1 dia with 331 notas · via · source · reblog
“Sou forte
Fort
For
Fo
Foi forte, agora está chorando.”

posted on Há 1 dia with 1.141 notas · via · source · reblog
“Minha vontade de viver já morreu faz tempo. Mas não vou me matar, não agora, mesmo estando cansado, não vou desistir… Só quero tentar suportar isso até o final. Quero ver como essa historia terminar.”
— viagem ao submundo.   

posted on Há 1 dia with 102 notas · via · source · reblog
“Você já ficou de joelhos em silêncio porque não conseguia colocar em palavras o que estava preso no seu coração? Você já chorou tentando orar porque a dor era grande, ou nem sabia o porque estava chorando? Você já se sentiu fraco,derrotado e que não conseguiria nada? Você já desejou não ter nascido e pensou que você era o problema? Você já ficou calada por horas,apenas em silencio porque palavras faltavam em seus lábios ou porque não tinha ninguém pra conversar? Você já sentiu que ajudava todo mundo,mas não conseguia ajudar a si mesmo? Você já quis conversar mas não tinha ninguém perto de você? Em todas essas horas o Espirito Santo estava ao teu lado esperando apenas um sinal para poder te ajudar. Nessas horas Deus estava te contemplando e vendo a tua dor. E se hoje depois de tudo você ainda está de pé. É porque Deus te levantou,mesmo você nunca tendo notado que Ele estava lá. Foi ele quem te fez dormir e te abraçou quando ninguém mais fez isso por você. Fica bem pequena, eu te amo, e Deus também!”
O labirinto de Esther.  

posted on Há 1 dia with 149 notas · via · source · reblog